Há uns 2 anos eu criei um projeto onde me propunha a escrever um conto decidido pelos dados. Seria uma forma de conseguir uma história interessante e inesperada.

Criei inclusive um sistema de RPG simples, baseado nos livros-jogos com poucos atributos para os personagens. A idéia era testar seus atributos quando fossem necessários e informar para o leitor quando isso aconteceu com um sistema de notação. Segue um exemplo:

“(…) foi neste momento que Antoine [PMS] percebeu que havia algo estranho nos desenhos das paredes. Se ainda pudesse contar com um dos encantamentos de Cecilea teria alguma chance de desvendá-los.

Ao menos, pensou, conseguiria se aproximar o suficiente para lê-los se seu amigo pudesse manter os pés firmes e a lâmina parada.

Lá embaixo, Byrnut já estava impaciente com seus pés ensopados mas, cauteloso, evitava mover-se, algo que exigia [PFS] sua concentração total. Confiando nisso, Antoine ignorou o medo lançou-se contra a parede oposta, preparando-se para agarrar no beiral [AFF], mas sua força foi insuficiente – ou seu cálculo – e ele sentiu que não alcançaria a parede. Sua reação imediata foi tatear o cinto procurando por sua corda e lançar o gancho contra qualquer relevo que pudesse ajudá-lo [RFF] mas demorou demais para encontrá-la. Ainda assim tentou lançá-la [AFF] sem sucesso. A queda o jogou contra a dura rocha do templo. [3d=11] Debre correu em seu socorro, mas parecia tarde demais, Antoine não resistiu ao choque. Sua vida se fora tão logo ele atingiu o chão.(…)”

Acho que você mesmo já percebeu qual foi o problema, mas eu vou esclarecer. As siglas entre colchetes representam onde ocorreram testes. Eles eram feitos sempre que uma ação do personagem era decisiva e importante (mais ou menos como todo RPG). Por exemplo PMS significa Passivo Mental Sucesso e AFF Ativo Físico Falha.

Maldito dado!

Maldito dado!

Existiam 9 atributos distribuídos entre 3 categorias: Fisico, Mental e Social/Espiritual. Cada um deles com um valor para o atributo Ativo, Passivo e Reativo. Assim era simples decidir qual testar rapidamente. Os valores iam de 0-12 e eu usava 2d6 para rolar os resultados. Os combates usavam valor de acerto fixo, mais ou menos como o AC de Dungeons and Dragons… mas eu estou entrando em detalhes desnecessários.

O fato é que os dados não ajudaram.

Eu criei 5 personagens clássicos. Antoine, o halfling ladino, Byrnut, um anão guerreiro, Cecílea, humana e maga, Debre, uma elfo patrulheira e Ernesd, um clérigo meio elfo… você notou que os nomes começam com A,B,C,D, E ? Claro, você é esperto. Eu tinha uns nomes com F, G e H porque imaginava que alguns morreriam.

Mas o sistema foi cruel demais, no trecho citado Cecílea já estava morta e Ernesd era um peso que os heróis carregavam. Antoine se foi bem aí, como você viu e em dois ou três parágrafos Debre estaria em uma situação complicadíssima enfrentando alguns goblins com 2 Pvs. Reparem que eu tentei mesmo salvar Antoine, mesmo com a falha na reação, ainda fiz o teste da corda (talvez penalizando-o com alguns PVs), mas o destino é cruel.

OK, você diz, então por que não ignorar os resultados algumas vezes?

Porque eu não tinha a flexibilidade de uma mesa de jogo e a experiência deveria ser válida, afinal a proposta era mesmo um conto escrito pelos dados e os dados escreveram uma história de morte ????

Talvez valha uma nova tentativa, talvez serviu para mostrar que o RPG nunca foi só dados, mas um jogo social de verdade.

Comments

comments