Eu decidi, a princípio, que só comentaria Dr Estranho depois de tê-lo visto ao menos duas vezes. Mas, resolvi deixar aqui minhas primeiras impressões sobre o último lançamento da Marvel nos cinemas. Mesmo que isso implique em algumas opiniões mudadas depois :D. #whocares?

É verdade que a Marvel acertou seu pé no cinema. Firmou uma base, criou sua fórmula e agora explora possibilidades de expandir e experimentar esse sistema e ver até onde ele pode ir. Cada filme tem mostrado um ponto fora da curva, assumindo alguns (poucos) riscos e pisando em terreno novo, apresentando ao público uma ou outra inovação pequena no “jeito Marvel de fazer cinema”. Há quem não goste é verdade, mas da minha parte são todos extremamente divertidos e empolgantes.

Dr Estranho fez mais. Foi além. Quebrou várias barreiras que Marvel se impôs e experimentou como nunca. Deixou conflitos não resolvidos (mas não pontas soltas), trouxe soluções de trama não óbvias e personagens mais crus e honestos… e críveis.

Foi estranho e sensacional poder acompanhar isso no cinema. O visual (assista em 3D) é excepcional, a trama é simples, porém mais densa que o normal e os diálogos parecem mais comedidos, ainda que sigam o tempero de humor da Disney/Marvel. A atuação de Cumberbatch extrapola os níveis Marvel até então e, não, não é só o Sheldonlock em outro papel. Tá digno e muito confortável no papel. Ele consegue encaixar atéas piadas no clima da cena e isso é um grande feito.

Eu comentaria mais uma vez que o vilão é o ponto mais fraco dos filmes da Marvel, mas olha que nem estou com esse sentimento, foi o personagem mais raso da trama, mas nesse filme, ele ganhou dimensão porque representava uma faceta dos outros personagens. Foi possível compreendê-lo, mesmo sem tanto desenvolvimento. Porém, valem duas ressalvas aqui de pontos negativos do filme. O primeiro não é um spoiler o segundo sim. Leia com cuidado… Eu vou avisar, fique tranquilo. Não é um “segredo” do filme, nem quebra nenhuma surpresa, mas conta algo sobre o conceito geral do filme ao qual você é apresentado logo que o Dr Estranho é apresentando ao “mundo místico”. Então leia por sua conta. Novamente. Aviso antes.

1 – Soluções Ex-Machina. Eu entendi que elas estão no contexto e no conceito geral de serem “coisas mágicas” e essa desculpa até cola, mas existem situações extremas onde a solução vem de “lugar nenhum”. Surgem sem explicação prévia, resolvendo o roteiro. Tem argumentos em favor, e nem de longe estragam a experiência, mas me deixou ligeiramente desconfortável.

vai encarar?

2 – Esse tem spoiler, mas é o principal ponto negativo em minha opinião. Se prefere não saber nada do filme, melhor pular o parágrafo, senão abra a janela. Como disse é mais uma questão conceitual do que um spoiler de verdade.

Comentários com Spoiler

Eles se chamam de “magos”, mas são “monges”. A magia não “parece” magia. A única coisa visualmente mágica que acontece são as distorções da realidade estilo “a origem”. Cenários caleidoscópicos e distorcidos com magos desafiando a gravidade correndo em paredes e dobrando construções. Os magos não soltam raios e rajadas e dardos mágicos. Não convocam poderes místicos, eles lutam. Na porrada. No Kung Fu. Sim, é isso. A magia mais visual é a conjuração de uma arma que cada mago usa e o Strange usa uma espécie de “chicote”. Faltou pra mim um quê de batalhas de Harry Potter mais adultas. Mais fantásticas, mais mágicas mesmo. Não me agradou nada os magos serem esses monges monásticos.

Dr Estranho é mais um filmaço da Marvel, inovador, em pouca medida, mas criativo em muita. Cumberbatch sustenta bem a trama, o roteiro alimenta bem o ritmo do filme, permitindo que a gente se divirta bem o tempo todo. Ele se integra bem ao MCU, algo que era temeroso, mas ficou cabível.

strange03

As cenas pós créditos são sensacionais. E são duas, fique ligado.

Comments

comments